sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

O Bom filho a casa torna

Enquanto me entretinha a fotografar os rebocadores, reparei que lá no fundo, junto à doca da Navalria, o "Lisbonense" fazia marcha à ré. Será que se vai embora? Pensei eu. É preciso ter sorte, estava mesmo a dar início à sua viagem de regresso para Lisboa.

Com ele já próximo, comecei a disparar.





Apesar do frio, estava uma tarde bastante boa. Assim dá gosto fotografar navios!



Este ferry, juntamente com o "Almadense", também já aqui apresentado no blog, formam a nova frota de ferrys da Transtejo, operando em Lisboa.

O "Almadense" e o "Lisbonense" são embarcações tipo catamaran, com um comprimento de 47,5 metros e 16 metros de boca, equipados com dois motores diesel de 850 HP cada, que permitem atingir uma velocidade de serviço de cerca de 11 nós, mantendo o baixo consumo e emissões de CO2.







Aqui o "Lisbonense" a passar em frente a S. Jacinto. Seria esta uma boa aposta para a região? Chamar-se-ia "Ilhavense", "Aveirense", "Gafanhense" ou "Jacintense"? Isso era assunto para debate. Desde que não o pintem de laranja e lhe chamem "Ovo Mole", por mim tudo bem.

O bonito casco tipo catamaran, tem destas coisas:



A espuma produzia pelos hélices do navio.



Apesar de alguns contratempos, estes dois navios são a prova viva de que Portugal ainda está presente no cenário da construção naval, e que ainda tem muito mais provas para dar nesta área.

De salientar que a construção número um da Navalria, o tão badalado "Sacor II" já realizou provas de mar ao largo da bela cidade de Peniche, onde foi também terminado pelos Estaleiros Navais de Peniche.

Espero que tenham gostado e até à próxima!

------------------------------------------------------------------
Imagens e textos protegidos pelos direitos do autor. Em caso de dúvida contacte-me.
© 2010 por Tiago Neves. Todos os direitos reservados.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Muito Obrigado por comentar!